A importante função da tecnologia na vida contemporânea é inegável, desempenhando o papel de nos ajudar a comprar, acompanhar notícias e, até mesmo, manter o contato com aqueles amigos e familiares que estão longe.

Essas funcionalidades são ainda mais importantes atualmente, durante o isolamento social decorrente da pandemia do novo coronavírus. No mundo todo, milhões de pessoas reduziram drasticamente, ou eliminaram de forma completa, seus papéis sociais presenciais, seguindo as normas do Ministério da Saúde e da Organização Mundial de Saúde.

Enquanto isso, segundo pesquisa da TIC Domicílios, 70% dos brasileiros estão conectados à Internet, contabilizando 126,9 milhões de pessoas. Esse se torna, portanto, o ambiente propício para que novas práticas de atendimento médico ganhem força, afinal, muitos não podem ter seus tratamentos interrompidos, mesmo durante uma pandemia. Nesse contexto, pacientes e médicos passam a enxergar a telemedicina como uma aliada importante para manter cronogramas de tratamento. 

Sendo assim, como um software médico ou ferramentas de teleatendimento podem ajudar profissionais da saúde e pacientes a se manterem seguros durante a quarentena, sem perder a regularidade e qualidade de seus atendimentos? 

Nós vamos explicar tudo neste artigo sobre a telemedicina!

Quais os pilares do teleatendimento?

Quando o monitoramento de pacientes é feito de maneira remota, desafios extras podem entrar em cena. No entanto, a prática da telemedicina aumenta seu número de adeptos a cada ano, mesmo antes da crise da Covid-19 começar. 

Isso porque o atendimento remoto, muita vezes, pode ser a solução para o desafio de atender pacientes de forma satisfatória dentro de orçamentos deficitários, uma vez que os custos desse tipo de prática são menores. 

Mas quais são os pilares para que a telemedicina seja realmente efetiva? 

Atente-se às orientações do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Medicina

Protocolos e diretrizes para esse tipo de atendimento são reguladas pelas Secretarias Regionais de Saúde; dessa forma, vale ficar atento aos seus fluxos e orientações. Além das normas do CFM (Conselho Federal de Medicina ), entre as principais leis e  normatizações, estão a LGPD ( Lei Geral de Proteção de dados ) e HIPAA (Health Insurance Portability and Accountability Act) com o objetivo de proteger informações, é seguido por organizações de saúde nacionais e internacionais. 

Comunicação é essencial

Durante a telemedicina, o vínculo entre médico e paciente é tão importante quanto em atendimentos presenciais. Portanto, comunique-se com seu paciente de forma clara, tendo a certeza de que ele está lhe entendendo bem, a fim de que seu diagnóstico seja mais fácil.

O local de atendimento também é importante

Assim como em um consultório, o ambiente no qual você opta por atender seus pacientes via telemedicina também é importante. Então, procure um lugar tranquilo e certifique-se de que os equipamentos, como computador, software médico e celulares, estão funcionando corretamente. 

Tais práticas ajudam a comunicação a ser mais clara e evitam confusões.

Softwares médicos realmente podem ajudar? 

A telemedicina é um território novo, tanto para médicos, quanto para pacientes. Enquanto as teleconsultas não têm o intuito de substituir o atendimento presencial, elas podem ser uma boa ferramenta para democratizar o acesso à saúde de qualidade. 

Nesse sentido, uma boa ferramenta de prontuário eletrônico e monitoramento de pacientes pode ser essencial no desempenho das funções de trabalho, principalmente durante pandemias. Além disso, o uso de ferramentas de emissão de receitas médicas a distância pode diminuir as chances de erros médicos, uma vez que 39% deles ocorrem no momento da prescrição, de acordo com a Klas Research.

Uma pesquisa divulgada pela Associação Paulista de Medicina neste ano aponta que 63% dos médicos fariam a utilização de ferramentas on-line para o melhor atendimento dos pacientes em clínicas e hospitais, desde que regulamentada. 

Dessa maneira, o impacto positivo que a tecnologia é capaz de trazer na qualidade dos tratamentos, mesmo depois que uma vacina para o novo coronavírus for distribuída, é notável. 

Conheça o software médico da DM Health

A DM Health é uma plataforma que otimiza o seguimento , uma vez que permite agilizar vários  aspectos de uma teleconsulta, simplifica a comunicação do acompanhamento do paciente desde a primeira consulta até a alta.

A Telemedicina da DM Health tem como objetivo aproximar pacientes e médicos, propiciando uma experiência diferenciada para ambos.

Confira: Saúde mental durante o home office